HISTÓRICO

O surgimento da Frente por uma Nova Política Energética para o Brasil remonta à realização do Seminário por uma Nova Política Energética para o Brasil, por iniciativa do Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social e em parceria com a International Rivers Brasil, a Coalização por um Brasil Livre de Usinas Nucleares e várias outras organizações, de 22 a 24 de maio de 2013, no CCB (Brasília).

Participaram deste seminário mais de 70 pessoas entre lideranças de organizações, especialistas em energia e autoridades públicas, sendo a sua mensagem final, assinada por 50 organizações, a primeira referência conceitual conjunta. Apesar de não ter sido oficialmente constituída na ocasião, neste seminário foi apontada claramente a necessidade de uma articulação conjunta, uma “frente” nacional, entre as organizações que discutiam a política energética no Brasil.

Vale ressaltar que neste seminário foi realizando um ato público, no qual foi lançado o documentário Damocracy – sobre grandes hidrelétricas no Brasil e na Turquia, e a Mobilização Nacional Por um Brasil Livre de Nuclear.

Após o seminário, algumas organizações que o coordenaram continuaram se reunindo e decidiram realizar no ano seguinte um encontro massivo, dentro da dinâmica do Fórum Social Mundial. Assim nasceu o Fórum Social Temático “Energia: para quê? Para quem? Como?”, que aconteceu de 07 a 10 de agosto de 2014, na Universidade de Brasília.

Dois grandes momentos marcaram este fórum: o lançamento da Campanha “Energia para a Vida” e um painel de diálogo com os/as candidatos/as à Presidência da República. O lançamento da campanha contou com um vídeo, um folheto e um cartaz. Já do debate saiu a ideia de se entregar a todos os/as presidenciáveis uma petição solicitando o compromisso com mudanças na política energética brasileira.

A petição enviada aos/às presidenciáveis nas eleições de 2014 serviu como base para a elaboração do que hoje chamamos de Plataforma de Propostas da Frente, que sintetiza o acúmulo de propostas de organizações, especialistas e de diversos momentos de discussão realizados pela Frente. Por uma questão estratégica e didática, esta plataforma se divide em um documento destinado a realizar incidência sobre o poder público (Advocacy) e outro destinado a motivar a mobilização popular acerca do tema.

Nos dias 11 e 12 de novembro de 2014 foi realizado em Brasília o seminário “Legados do FST Energia e Consolidação da Frente por uma Nova Política Energética” para avaliação e consolidação dos resultados do FST Energia. Como principal encaminhamento deste seminário as organizações presentes decidiram oficializar a criação da Frente por uma Nova Política Energética para o Brasil, que se constituiria a partir de então no sujeito político a animar a Campanha “Energia para a Vida” e outras iniciativas afins.