CERSA promove capacitação para uso de energia solar em Agroindústria Comunitária

FacebookTwitterGoogle+Share
A fábrica de bolos já está em fase de conclusão.

A fábrica de bolos já está em fase de conclusão.

Empoderamento feminino, agroindústria e sustentabilidade. O que tudo isso tem a ver com energia solar? Tem tudo a ver. É o que mostra o projeto Padaria Solar, promovido pelo Comitê de Energias Renováveis do Semiárido (CERSA) com apoio do Fundo Socioambiental Casa. O objetivo é demonstrar a inserção da tecnologia fotovoltaica em uma agroindústria comunitária.

A primeira beneficiária desta ação é a Associação Comunitária Várzea Comprida dos Oliveiras, localizada no município de Pombal-PB.  Junto ao Programa de Ação Social e Políticas Públicas (PASPP), a associação vem se empenhando na construção da sede da Fábrica de Bolos dos Oliveiras com previsão de término para este ano. Trata-se de um empreendimento para fabricação de bolos, bolachas e pães para a venda em escolas públicas da região através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) do governo federal.

O grande destaque fica por conta das mulheres que de forma organizada demonstram suas potencialidades na fabricação de massas. A panificadora beneficia 21 microempreendedoras e torna-se fonte de emprego e renda para a comunidade que conta com 100 famílias.

Segundo o técnico agrícola do PASPP, Aíres Humberto, a Prefeitura de Pombal foi a responsável por conseguir os equipamentos, mas não havia lugar para coloca-los. “Então, nos mobilizamos para angariar recursos para construção da sede. E conseguimos por meio de um edital de uma instituição criada pelo Papa João Paulo II, a Fundação Populorum Progression”, disse.

De acordo com a presidente da Associação Comunitária Várzea Comprida dos Oliveiras, Solange Matos, a articulação com o CERSA acelerou a concretização dos planos para a instalação de energia solar fotovoltaica no local. “Há muito tempo nós pensávamos em colocar o sol como forma de gerar energia em nossa agroindústria. Mas, não pensávamos que fosse acontecer tão rápido”, disse.

Para a implementação da tecnologia fotovoltaica no ambiente, foi realizado um contato prévio do coordenador técnico do CERSA, Walmeran Trindade, com a comunidade para conhecer a realidade do local. A partir dessa interação, o projeto foi elaborado prevendo  uma metodologia de aplicação centrada no ser humano para o uso da energia solar.

Capacitação Técnica

cersa1

Começou no  dia 29 de Maio, o primeiro módulo da capacitação técnica para utilização da Energia Solar pelos membros da comunidade Várzea Comprida dos Oliveiras. O minicurso é ministrado por  Walmeran Trindade com a colaboração de Carlos Santa-Cruz,  ambos docentes do Instituto Federal da Paraíba, e visa instrumentalizar os interessados a operar com o sistema fotovoltaico.

Na primeira etapa, os participantes aprenderam a manusear as instalações elétricas convencionais. Segundo Trindade, essa é uma oportunidade para  que os moradores possam resolver   problemas básicos das instalações elétricas na comunidade e na própria padaria. “É também uma forma de qualifica-los tecnicamente para prestarem algum serviço nas imediações”, disse.

O estudante Anderson de Oliveira de 17 anos é um dos alunos da capacitação. Ele já tem contato com instalações de lâmpadas e tomadas e na ocasião teve chance de rever alguns conceitos da aula de Física na prática. “Vai me ajudar a ter conhecimento na área de energias renováveis e ao mesmo tempo vou poder resolver qualquer problema elétrico em uma casa”, disse.

A partir do módulo introdutório sobre as instalações elétricas, o CERSA promoverá ainda mais duas etapas: a instalação de sistemas de energia solar e a parte prática do minicurso que consiste na instalação, manuseio e manutenção das placas fotovoltaicas na padaria.

A ideia é que as pessoas do lugar tenham condições de entender como funciona o sistema fotovoltaico em todos os aspectos. Para que as próprias pessoas da comunidade  possam fazer algum procedimento corretivo. E caso esse procedimento corretivo não seja possível de ser realizado, que eles saibam onde solicitar ajuda técnica”, ressaltou Trindade.

Ainda conforme Trindade, o novo cenário das energias renováveis apresenta um novo arranjo produtivo com grandes perspectivas de geração de emprego e renda. Assim, aqueles que concluírem o curso estarão aptos para trabalhar nesse mercado.

Enio Marx – Assessor de Comunicação do CERSA.