CERSA participa de discussão sobre energias renováveis

FacebookTwitterGoogle+Share
O coordenador técnico do CERSA, Walmeran Trindade, ministrou palestra sobre energias renováveis no IX Congresso Estadual de Profissionais da Paraíba.

5 - 20160511_091510

Com o objetivo de aproximar-se dos profissionais da área de engenharia do interior da Paraíba, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-PB) realizou encontros microrregionais nas cidades de Campina Grande, Patos e Sousa. Os eventos são uma prévia do IX Congresso Estadual de Profissionais da Paraíba que acontecerá nos dias 9 e 10 de Junho, no Luxxor Skyler Hotel, em João Pessoa.

 Os eventos microrregionais foram realizados de acordo com as demandas das cidades que sediaram os encontros. Em Sousa, o coordenador técnico do Comitê de Energias Renováveis do Semiárido (CERSA), Walmeran Trindade, foi convidado para proferir uma palestra em torno da temática das energias renováveis na última quarta-feira, dia 11 de maio.

“A ideia surgiu a partir do diálogo que tivemos com esse grupo de ambientalistas, pensadores, formuladores e acadêmicos que fazem parte do CERSA. Assim, optamos por escolher o tema das energias alternativas que se mostra absolutamente estratégico para ser debatido aqui em Sousa”, destacou a presidente do CREA-PB Gliucélia Figueiredo.

Durante a palestra, o professor Walmeran Trindade ressaltou que o modelo centralizado de geração de energia elétrica está causando grandes impactos ambientais. Um dos fatores são as grandes centrais hidrelétricas que estão concentradas em um único ponto, causando problemas através da implementação de reservatórios e de longas linhas de transmissão para transporte de energia.

Por sua vez, as energias renováveis possuem vantagens em relação à produção energética tradicional. Um dos inúmeros benefícios é a exigência de um modelo descentralizado, democrático e menos nocivo ao meio ambiente.

“Em vez de termos uma enorme estrutura montada para o fornecimento de energia teremos pequenos geradores (microgrids) operados na rede elétrica gerando uma grande quantidade de energia. Então, isso causa menor impacto ambiental e concede autonomia energética para as pessoas”, disse Trindade.

Outro ponto de discussão na palestra foi a perspectiva de mercado de trabalho para engenheiros e técnicos no âmbito das energias renováveis. Para tanto, o palestrante baseou-se no relatório global[R]evolução Energética 2015: Como Atingir 100% de Energias Renováveis para Todos até 2050”, lançado pelo Greenpeace ano passado. O documento avalia o cenário atual de incentivos para as energias alternativas.

Foi constatado que até 2030, a indústria de painéis solares fotovoltaicos poderia chegar ao patamar de 9,7 milhões de empregos diretos e indiretos no mundo todo. Essa nova forma de gerar eletricidade carece de mão de obra especializada na instalação, manutenção e produção de equipamentos.  “Há um novo arranjo produtivo com grandes perspectivas de geração de emprego e renda contribuindo significativamente para o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional”, pontuou Trindade.

O evento aconteceu no auditório do SEBRAE-Sousa e contou com a presença de 22 participantes. O professor da Universidade Federal de Campina Grande, Allan Sarmento, especialista na área de recursos hídricos avaliou positivamente a palestra. “É muito importante a discussão sobre matrizes energéticas que venham contribuir para o crescimento econômico da nossa região, que registra os maiores índices de radiação solar do Brasil no distrito de São Gonçalo”, afirmou Sarmento.

Enio Marx – Assessor de Comunicação do CERSA.