Seminário debaterá grandes projetos na Bacia do Tapajós

Nos dias 23 e 24 de maio a cidade de Itaituba, no oeste do Pará, será sede do Seminário “Impactos, desafios e perspectivas dos Grandes Projetos na Bacia do Tapajós”, promovido pelo Ministério Público do Pará por meio do Centro de Apoio Operacional Cível (CAO Cível) e Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (Caoma) em parceria com a Universidade Federal do Pará por meio da Clínica de Direitos da UFPA com apoio da Fundação Ford, Ministério Público Federal e promotores de justiça locais.

Leia mais.

Movimento realiza ações contra os combustíveis fósseis e o fracking

Foi uma semana de grande mobilização contra os combustíveis fósseis e o FRACKING na cidade de Maringá, Norte do Paraná. Milhares de pessoas receberam a mensagem do movimento global LIBERTE-SE DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS como parte da onda global – Break Free 2016 – contra projetos poluentes e injustos da indústria de carvão, petróleo e gás. 

Leia mais.

Foi realizada em Brasília, no último dia 30 de abril, mais uma oficina “Nossa Casa Solar”, que faz parte da campanha de mesmo nome promovida pela Frente por uma Nova Política Energética para o Brasil. Participaram mais de 45 pessoas, representantes de entidades comunitárias, estudantes dos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia de Energia da Universidade de Brasília, gestores públicos, agentes de pastorais, entre outros.

Leia mais.

A alvorada da energia solar

Já pensou sobre o que mudaria no seu dia-a-dia se você pudesse gerar sua própria energia, ter mais independência, mais escolhas e menos gastos? Agora imagine como seria nosso país se a energia solar fotovoltaica estivesse na casa de muitas e muitas pessoas. Que tipo de benefícios veríamos na nossa economia? E como essa fonte favoreceria o meio ambiente?

Conheça o estudo.

Fórum debate o uso da energia solar fotovoltaica no semiárido

O Comitê de Energia Renovável do Semiárido (CERSA) realizou de 18 a 20 de abril, na cidade de Pombal (PB), o II Fórum do Semiárido de Energia Solar e a II Conferência Regional da Sustentabilidade Ambiental, com o objetivo de formular políticas públicas para continuar avançando com novas reflexões e proposições sobre a atual conjuntura de escassez hídrica e limitações da atual matriz energética brasileira.

Leia mais

Energia eólica e os desafios socioambientais

A partir de 2007, ano a ano, o crescimento da geração eólica no país chama a atenção. Se há nove anos a potência instalada era de 667 MW, em 2015 chegou a 8.120 MW, ou seja, um aumento de 12 vezes. Verifica-se também que vários municípios brasileiros sofreram mudanças radicais com alterações bruscas em suas paisagens e no modo de vida de suas populações. Essas mudanças representam o início de um novo ciclo de exploração econômica, o chamado “negócio dos ventos”.
Leia o artigo.

Brasília recebeu oficina “Nossa Casa Solar”

Foi realizada em Brasília, no último dia 30 de abril, mais uma oficina “Nossa Casa Solar”, que faz parte da campanha de mesmo nome promovida pela Frente por uma Nova Política Energética para o Brasil. Participaram mais de 45 pessoas, representantes de entidades comunitárias, estudantes dos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia de Energia da Universidade de Brasília, gestores públicos, agentes de pastorais, entre outros. A oficina teve o objetivo de facilitar uma compreensão popular acerca do Sistema de Compensação de Energia Elétrica a partir da mini e microgeração distribuída de energia, com foco na energia solar fotovoltaica, a fim de que tal sistema se torne melhor conhecido e compreendido pelas pessoas. A oficina foi facilitada pelo engenheiro eletricista Joilson Costa, da coordenação nacional da Frente, que abordou os diferentes aspectos da matriz elétrica brasileira, a tecnologia, o potencial e algumas políticas de incentivos para a utilização da energia solar fotovoltaica existentes no Brasil e no mundo. Entre outras coisas, destacou os benefícios sociais, ambientais e econômicos da energia fotovoltaica, neste limiar do século 21. O engenheiro Joilson (foto acima) explicou ainda os principais aspectos da regulamentação do sistema – Resolução nº 482 da ANEEL, o funcionamento, os principais conceitos, estimativas de investimento necessário, financiamento, empresas instaladoras na região, entre outros. Para o engenheiro, uma das principais contribuições que as oficinas “Nossa Casa Solar” buscam oferecer às pessoas é desmistificar o discurso fácil – de governos, empresas e até alguns profissionais da área, de que a microgeração distribuída ainda não seja viável por ser “muito cara”. Na oficina são explicados quais são os verdadeiros entraves para o avanço da... Leia mais »

Breve reflexão sobre a matriz energética brasileira

Matriz Energética: Hegemonia e Alternativas[1] Joilson Costa* A matriz energética de um país se refere às fontes primárias utilizadas no processo de conversão energética responsável por oferecer à sociedade a forma de energia necessária para prover conforto, iluminação, força motriz, enfim, para “mover” e manter nossa sociedade nos padrões que conhecemos – ou melhorá-lo. Ao longo do tempo a engenhosidade humana aprendeu a “extrair” de uma imensa variedade de fontes a energia de que necessitava, tais como a lenha, o carvão, o petróleo, a biomassa, a força das águas, dos ventos, das marés, da radiação solar… No entanto, a descoberta, a utilização e o desenvolvimento destas fontes não se dão simultaneamente e nem em condições “igualitárias” por vários fatores, que incluem desde a sua disponibilidade na natureza, viabilidade para exploração comercial, impactos que provocam e até mesmo interesses empresariais e/ou políticos. Estes fatores são preponderantes para que uma ou outra fonte tenha o seu uso privilegiado, tornando-se dessa forma hegemônica sobre as demais. No mundo, já faz algum tempo que este papel cabe ao petróleo – fonte de grande poder calorífico e versatilidade em seu uso. O que talvez não seja conhecimento de alguns é que no Brasil essa hegemonia também acontece, com o petróleo sendo responsável por 39,4% de toda oferta interna de energia durante o ano de 2014[2] – isso corresponde ao total de todas as fontes renováveis. Tal desconhecimento muito provavelmente ocorra devido à confusão que se faça entre matriz “energética” e matriz “elétrica”. Como o nome supõe esta última diz respeito tão somente às fontes utilizadas na geração de energia elétrica, mas infelizmente às vezes... Leia mais »

CERSA participa de discussão sobre energias renováveis

O coordenador técnico do CERSA, Walmeran Trindade, ministrou palestra sobre energias renováveis no IX Congresso Estadual de Profissionais da Paraíba. Com o objetivo de aproximar-se dos profissionais da área de engenharia do interior da Paraíba, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-PB) realizou encontros microrregionais nas cidades de Campina Grande, Patos e Sousa. Os eventos são uma prévia do IX Congresso Estadual de Profissionais da Paraíba que acontecerá nos dias 9 e 10 de Junho, no Luxxor Skyler Hotel, em João Pessoa.  Os eventos microrregionais foram realizados de acordo com as demandas das cidades que sediaram os encontros. Em Sousa, o coordenador técnico do Comitê de Energias Renováveis do Semiárido (CERSA), Walmeran Trindade, foi convidado para proferir uma palestra em torno da temática das energias renováveis na última quarta-feira, dia 11 de maio. “A ideia surgiu a partir do diálogo que tivemos com esse grupo de ambientalistas, pensadores, formuladores e acadêmicos que fazem parte do CERSA. Assim, optamos por escolher o tema das energias alternativas que se mostra absolutamente estratégico para ser debatido aqui em Sousa”, destacou a presidente do CREA-PB Gliucélia Figueiredo. Durante a palestra, o professor Walmeran Trindade ressaltou que o modelo centralizado de geração de energia elétrica está causando grandes impactos ambientais. Um dos fatores são as grandes centrais hidrelétricas que estão concentradas em um único ponto, causando problemas através da implementação de reservatórios e de longas linhas de transmissão para transporte de energia. Por sua vez, as energias renováveis possuem vantagens em relação à produção energética tradicional. Um dos inúmeros benefícios é a exigência de um modelo descentralizado, democrático e menos nocivo ao meio... Leia mais »

Seminário em Itaituba (PA) debaterá grandes projetos na Bacia do Tapajós

Nos dias 23 e 24 de maio a cidade de Itaituba, no oeste do Pará, será sede do Seminário “Impactos, desafios e perspectivas dos Grandes Projetos na Bacia do Tapajós”, promovido pelo Ministério Público do Pará por meio do Centro de Apoio Operacional Cível (CAO Cível) e Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (Caoma) em parceria com a Universidade Federal do Pará por meio da Clínica de Direitos da UFPA com apoio da Fundação Ford, Ministério Público Federal e promotores de justiça locais. O evento será no Parque de Exposição Hélio da Mota Gueiros e tem como foco principal os impactos aos municípios que compõem a Bacia – Santarém, Itaituba, Belterra, Placas, Aveiro, Mojui dos Campos, Novo Progresso, Juruti, Jacareacanga, Rurópolis e Trairão. O Grupo de Trabalho (GT) da Bacia do Tapajós, criado em fevereiro de 2016 pelo MPPA, tem como coordenadores gerais o CAO-Cível e o Caoma e como coordenadores regionais as promotoras de Justiça Liliam Furtado e Ione Missae, que atuam nos municípios. O público alvo são pessoas e instituições interessadas na discussão dos impactos, desafios e perspectivas dos grandes projetos na região- estudantes, professores e pesquisadores, órgãos dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, movimentos sociais, povos e comunidades tradicionais. O credenciamento inicia às 8h, na segunda-feira (23) e a abertura oficial será às 10h, com representante do governo do Estado, Procurador Geral de Justiça do MPPA, representantes do MPF, da Justiça Federal e Estadual, da Clínica de Direitos Humanos da Amazônia/UFPA, Igreja Católica, prefeitura de Itaituba, do Consórcio de Municípios do Tapajós, Assembleia Legislativa do Pará e da OAB em Itaituba. Debates – Na programação,... Leia mais »
Apoio

Amazon Watch Heinrich Böll Stiftung Brasil
Greenpeace Brasil Instituto Centro de Vida
International Rivers Uma Gota no Oceano